Não Confunda Depressão Com Tristeza

O termo anda banalizado, mas a doença é séria. O que tem gerado confusão. As estatisticas sobre a doença apontam que 15% da população mundial teve, tem ou terá a doença algum dia. Além de não ser rara, ataca mais as mulheres (são duas para cada homem). É preciso, porém, fazer um diagnóstico correto. Uma pessoa absolutamente saudável pode estar triste porque perdeu o emprego. A doente sente-se triste mesmo sem ter um motivo. A tristeza passa. Na depressão, é fundamental o tratamento com psicoterapia e remédios.

depressao.jpg

Estamos tão pressionadas a buscar a felicidade que, quando alguma coisa acontece fora do planejado, esquecemos de cogitar a possibilidade de ficar triste, simplesmente. Quem acabou de ser abandonada pelo namorado pode ter, durante um tempo, sintomas muito parecidos com os da depressão: dorme mal, perde a fome e a vontade de sair de casa – o que é absolutamente normal. Mas com poucos dias começa a mesclar sinais com a rotina habitual, vai ao trabalho, encontra as amigas. Continua o baixo-astral, mas a vida segue. Na depressão, os sintomas estão presentes na maior parte do dia, por pelo menos duas semanas consecutivas.

 

Ficar triste de vez em quando é necessário. Por mais que a gente goste da felicidade, estranho seria levar uma bronca do chefe, brigar com a melhor amiga e continuar feliz, como se nada tivesse acontecido. Todas as emoções têm uma função. A tristeza é importante para ajudá-la a refletir sobre um problema e a encontrar um caminho para dar a volta por cima. Por mais chato que seja encarar o periodo nebuloso, depois dele tudo se renova.

depressao-1.jpg

Ter depressão não é necessariamente o desfecho de uma fase complicada. Porém perdas importantes podem, sim, desencadear o processo. O quadro não tem uma unica causa, mas está relacionado com predisposição genética e hist´rico de vida. Em alguns casos, é comum a paciente ter passado por uma perda importante, de trabalho, de amor ou de dinheiro, mais ou menos um ano antes de os sintomas aparecerem. Mesmo assim, não é necessário ter uma situação limite para a doença surgir. Sabe-se que nesse estado há a carência de neurotransmissores como serotonina e dopamina, responsaveis pela sensação de bem-estar. Mas o que acontece exatamente dentro do cerebro da mulher deprimida ainda é objeto de estudo.

 

O diagnóstico preciso de depressão só pode ser feito por um médico, um psiquiatra ou um psicoterapeuta. O primeiro passo é descartar doenças fisicas, como anemia e hipotiroidismo, que têm sintomas semelhantes.

2 Comments

  1. Sandra Regina

    3 de agosto de 2017 at 17:16

    ola, Gabriela, que bom que gostou. A intenção acho que é esta, nos fazer pensar. bjos.

  2. Gabriela

    3 de agosto de 2017 at 10:50

    Oi… tão difícil separar tristeza de depressão, identificar mesmo, sabe?! Num mundo cheio de pessoas se mostrando contentes, nos comparamos demais, né?! Mas foi muito bom este texto… faz pensar se não estou somatizando demais… obrigada!

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.