Lembre-se de prevenir agora para não esquecer depois

Falamos sempre sobre a importância de mantermos hábitos saudáveis – não apenas físicos, mas também mentais. E, hoje, sobre o Alzheimer, o tipo de demência mais comum que existe, é fundamental reforçar a importância de se manter ativo, com atividades que trabalhem o cérebro, na luta contra esta doença degenerativa.

A chave para retardar ou diminuir as chances do Alzheimer está no estilo de vida. Segundo estudos, o consumo de bebidas artificialmente adoçadas pode ser associado com maior risco de demências, enquanto a composição da microbiota intestinal também  tem sido associada à doenças degenerativas, como o Alzheimer e Mal de Parkinson. Assim, é importante ter uma rotina saudável, praticando atividade física, exercitando a mente e comendo de forma equilibrada para manter o intestino saudável. Alimentos como peixe (ômega 3), verduras e azeite são boas opções.

Quando se desenvolve a doença, com o passar dos anos, sintomas como perda de memória recente vão se intensificando, debilitando e causando grande impacto na rotina do indivíduo, que vai perdendo o senso de direção e tem suas funções cognitivas prejudicadas, além de dificuldades de fala e desatenção.

Quando o diagnóstico é precoce, é possível minimizar o avanço dos sintomas, proporcionando mais qualidade de vida ao indivíduo e a família. Mesmo nos casos mais graves, a medicina possui medidas que buscam aliviar os sintomas, a estabilização da doença ou pelo menos o desenvolvimento mais lento. Além do tratamento medicamentoso, é possível combinar estímulos dos sistemas atingidos (cognitivo, físico e social), como atividades que exigem raciocínio lógico, linguagem e uso da memória; promover um bom convívio e afeto; e realização de atividades q exijam q o paciente fortaleça a musculatura, gaste energia e ganhe flexibilidade e equilíbrio.

Assim, é possível manter a saúde e integridade mental desde jovem para prevenir quando mais velho! Este é o verdadeiro segredo, manter-se ativo na juventude e dar atenção ao cérebro para que este não esteja comprometido ao envelhecer.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.