Hipoglecemia, termo médico para baixa de glicose no sangue.

Hipoglicemia é o termo médico que se refere ao estado patológico produzido pela quantidade de açúcar (glicose) no sangue em menor quantidade que o normal. A concentração sérica (do sangue) de açúcar normalmente esta dentro de uma faixa de aproximadamente 70 a 100 miligramas por decilitro de sangue. Nos diabetes, a concentração sérica de glicose esta acima do normal.

diabetes1 Hipoglecemia, termo médico para baixa de glicose no sangue.

Quando a concentração torna-se baixa, a função do cérebro pode ser comprometida, devido à glicose funcionar como um combustível principal de funcionamento do cérebro. O cérebro reage à concentração sérica baixa de glicose, através do sistema nervoso, estimula as adrenais (é uma glândula endócrina localizada acima do rim com a função principal, estimular a conversão de proteínas e de gorduras em glicose) a liberar adrenalina (epinefrina). Em conseqüência estimula o fígado a liberar açúcar no intuito de ajustar a concentração no sangue então quando a concentração esta abaixo do normal afeta-se o sistema orgânico e a função cerebral fica desajustada.
A maioria dos casos de hipoglicemia ocorre em indivíduos diabéticos e esta relacionada a medicamentos. Hipoglicemia em pessoas com diabetes pode ser causada por ingestão de muita medicação, ausência de refeições, pouca alimentação, excesso de exercícios físicos, muito calor, muito álcool, estresse emocional ou uma combinação desses fatores.
 A hipoglicemia não relacionada a medicamentos pode ser dividida em hipoglicemia do jejum (que ocorre em um período de jejum) levando em consideração que para um individuo acarretar uma hipoglicemia após um jejum prolongado ele tem que apresentar outra doença nas adrenais ou epifisárias, a hipoglicemia reativa (provocada pelo uso da insulina na intenção de diminuição de concentração de açúcar no sangue ou pela reação a ingestão de alimentos, maioria das vezes carboidratos).
A hipoglicemia ocorre porque os açúcares são absorvidos muito rapidamente assim estimulando a produção excessiva de insulina.Ocorre em lactantes e crianças um tipo de hipoglicemia reativa, causado por alimentos que contém açúcares frutose e galactose (impedem a liberação de glicose pelo fígado) ou aminoácido leucina (que estimula a superprodução de insulina pelo pâncreas), nos dois casos o resultado é uma concentração sérica baixa de glicose algum tempo após o consumo de alimentos que contenham um desses nutrientes.
A hipoglicemia também pode ser decorrente a outros fatores como: insuficiência renal ou cardíaca, de um câncer, da desnutrição, da difusão epifisária ou adrenal, do choque e de uma infecção grave, uma doença hepática extensa como a hepatite viral e cirrose. As manifestações e sintomas de hipoglicemia podem ser ativados pela queda de glicose, e efeitos neuroglicopênicos produzidos pelo nível de açúcar no cérebro reduzido são: Inquietação, ansiedade, nervosismo, tremor, palpitações, taquicardia, transpiração, sensação de calor, palidez, pupilas dilatadas.
Sendo prolongada a hipoglicemia pode lesar o cérebro de modo permanente, para diagnosticar a hipoglicemia é necessário que o individuo vá a um medico  principalmente se for portador da diabetes, o controle domiciliar não é recomendado devido os resultados muitas vezes ser errôneo. Há casos de pacientes que necessitam de hospitalização para exames mais sofisticados.
A glicose no sangue pode ser elevada ao normal em minutos com 10-20 gramas de carboidratos tomados como bebida ou comida se a pessoa estiver consciente e capaz de engolir. Essa quantidade de carboidratos está presente em: 100-120 ml de suco de laranja, maçã ou uva; 120-150 ml de refrigerante comum (não-light), uma fatia de pão ou em torno de uma porção de alimentos com bastante amido. O amido é rapidamente digerido em glicose, mas adicionar gordura ou proteínas retarda a digestão. Os sintomas devem começar a melhorar dentro de 5 minutos, porém a recuperação total pode levar 10-20 minutos. Dar muita quantidade de alimentos não acelerará a recuperação, e se a pessoa tiver diabetes poderá ocasionar hiperglicemia posteriormente. Se a pessoa estiver sofrendo de efeitos tão fortes de hipoglicemia que não for capaz de ingerir nada pela boca, a glicose pode ser dada através de infusão intravenosa ou ser dada injeção de glucagon.

O glucagon é um hormônio protéico que estimula o fígado a produzir grandes quantidades de glicose a partir de suas reservas de carboidratos, restaura a concentração sérica de açúcar em 5 a 15 minutos. Os tumores secretores de insulina devem ser removidos cirurgicamente. Os indivíduos não diabéticos com tendência à hipoglicemia geralmente conseguem evitar os episódios, consumindo freqüentemente pequenos lanches ao invés das três refeições diárias habituais.    Nesse caso é bom ressaltar que o individuo que tenha tendência à hipoglicemia deve sempre carregar consigo um cartão ou uma pulseira para informar à equipe de emergência sobre sua condição em caso de acidentes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


9 − = 3

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>